Blog das PME´s

03/10/2012

Quer empreender ? Mate a sua vaca !

Quer empreender? Mate a sua vaca! Pelo menos é o que sugere uma parábola contada em vários países.

Por Marcelo Nagakawa (*)

Esta é a minha versão: conta-se que certa vez, o mestre e seu discípulo foram recebidos com muita hospitalidade por uma família muito pobre que vivia em um sítio. “Tiramos todo o nosso sustento desta vaca”, explicou o pai apontando para um frágil animal. “Seu leite é a nossa fonte de proteína e quando sobra, vendemos o excedente na cidade”, disse.

Assim que a visita terminou e saíram do sítio, o mestre ordenou ao seu discípulo que voltasse, e na calada da noite, levasse a frágil vaca da pobre família para o brejo. “Mas Mestre, além de criarmos uma nova gíria, a vaca irá morrer, pois não terá forças para sair de lá!”, avisou o discípulo. Mas o Mestre estava irredutível. Muito contrariado e triste, o discípulo cumpriu a ordem.

Anos depois, como o peso na consciência não passava, o discípulo voltou para pedir desculpas. Mas ao chegar tomou um susto. Viu uma residência confortável, bons carros na garagem e uma família saudável e feliz. “O que aconteceu?”, perguntou ao mesmo sitiante.

“Há alguns anos nossa vaca foi para o brejo e, infelizmente, a perdemos. Sem opções, tivemos que aprender novas habilidades para o nosso sustento e descobrimos que poderíamos fazer muito mais coisas. Passamos a tirar leite de pedra!”, explicou. “Mais uma nova gíria”, pensou o discípulo. Mas entendeu a lição do seu Mestre. Estórias assim representam a trajetória de milhares de empreendedores. Mas os visionários encaram a vaca de outra forma.

Foi em uma visita a um frigorífico de um amigo que Henry Ford, fundador da Ford Motor, teve a sacada da linha de produção em série. Viu carcaças dos animais presas a uma corda que se movimentava, parando na frente de um funcionário que era responsável pelo corte de um tipo de carne específico.

Cada pessoa cortava com rapidez e precisão cada parte. Imaginou aquele processo ao contrário, vendo os animais sendo “montados” em série. A inédita linha de montagem da Ford reduziu o tempo médio de produção de 12 horas para duas horas e meia. Só a partir disso que Henry Ford, que já havia fracassado em duas empresas, atingiu o sucesso.

David Packard, co-fundador da HP, acredite se quiser, aprendeu algumas técnicas em gestão de pessoas tocando o gado em sua fazenda. Aprendeu, por exemplo, que se quisesse que os animais passassem por uma determinada porteira, não deveria pressioná-los, mas sim deixá-los em paz. Quando um deles encontrasse um motivo passar a porteira, o resto viria atrás.

A partir desta percepção, criou um ambiente mais descontraído e propósitos grandiosos para a sua empresa que ainda hoje inspiram quase todas as empresas do Vale do Silício.

E até Steve Jobs aprendeu alguma coisa com as vacas! A harmoniosa integração entre hardware e software dos produtos Apple surgiu a partir do nascimento de uma bezerra. Ele ficou pasmo quando viu que em poucos minutos, o pequeno animal se pôs de pé e começou a andar. Aquilo foi visionário para Jobs. “Era como se alguma coisa no corpo do animal e no seu cérebro tivessem sidos projetados para trabalhar em conjunto instantaneamente, em vez de ser aprendida”.

Assim, todo produto Apple deveria funcionar perfeitamente sem a necessidade de aprendizados desde o início. Você pode se inspirar em qualquer personagem desta parábola… menos na vaca!

(*) Marcelo Nakagawa é professor e coordenador do Centro de Empreendedorismo do Insper

 

Anúncios

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.