Blog das PME´s

28/09/2012

10 negócios que devem bombar, segundo o Wall Street Journal

O jornal divulgou hoje seu ranking de startups americanas com um futuro mais do que promissor

O ranking anual publicado pelo jornal Wall Street Journal com 50 pequenas empresas que devem bombar nos próximos anos. A lista, chamada “Next Big Thing”, foi elaborada com empresas que já tenham recebido aporte de fundos de investimento e privilegia as companhias menos conhecidas, excluindo figuras carimbadas como Twitter e Dropbox.

Em sua terceira edição, o ranking traz menos empresas focadas em internet. A maior parte das startups da lista fornece produtos ou serviços para outras empresas. Feito em parceria com o instituto de pesquisa VentureSource, o estudo levou em conta negócios que tenham recebido menos de 1 bilhão de dólares de investimento de fundos nos últimos três anos e que tenham sede nos Estados Unidos. Veja a lista abaixo dos dez primeiros colocados.

1. Genband: A empresa fornece serviço de voz pela internet para mais de 600 clientes, incluindo grandes companhias, como Comcast and Sprint.

2. Xirrus: Desenvolve alta tecnologia relacionada a redes sem-fio e o fundador, Dirk Gates, já criou outra startup, a Xircom, que foi vendida para a Intel.

3. Tabula: A empresa produz chips semicondutores para vários tipos de produtos eletrônicos e é a quinta startup de tecnologia do fundador, Steven Teig.

4. Prosper Marketplace: Criou uma sistema de empréstimo pessoal e, nos últimos 12 meses, fez 18 mil empréstimos, totalizando 135 milhões de dólares.

5. SpiderCloud Wireless: A empresa produz um tipo de equipamento para banda larga para ambientes fechados, um mercado bastante aquecido segundo a publicação.

6. DocuSign: É um serviço online para transmitir documentos assinados eletronicamente, ajudando a diminuir o uso de papel.

7. Glaukos Corp: Faz equipamentos médicos para reduzir problemas com glaucoma. Segundo o jornal, a última inovação nesta área aconteceu nos anos 1970.

8. NeuroPace: A empresa produz equipamentos que podem ser implantados para tratar doenças neurológicas, como epilepsia.

9. 10gen: A empresa é responsável pelo MongoDB e desenvolve um banco de dados escalável com uma linguagem específica.

10. Glam Media: Reúne e controla 3400 sites voltados para conteúdos de estilo de vida e comportamento, que atraem juntos 242 milhões de visitantes únicos por mês.

 

 

14/09/2012

As PMEs que mais crescem no Brasil.

A L&Barreiros Controladoria, esteve mais vez presente no evento da Deloitte e Exame PME sobre: As PME’s que Mais Crescem no Brasil.

No evento foram apresentados os resultados de um estudo sobre os desafios do ambiente de negócios no caminho das empresas emergentes.

 

Os principais obstáculos das  PME´s  emergentes.

Para aumentar a competitividade das pequenas e medias empresas e elevar as taxas de crescimento, é preciso passar pelos obstáculos que o “ Custo Brasil ” impõe a essas organizações emergentes.

De acordo com as respostas das 336 empresas da amostra da pesquisam os desafios do ambiente de negócios que mais incidem no aumento de custos, e que demandam mais esforços por parte das organizações estão enumeradas a seguir.

 

A escada das dificuldades:

Desafios do ambiente de negócios que mais incidem no aumento de custos e esforços nas empresas.

44%

Sistema Legal e tributário

30%

Legislação trabalhista

7%

Captação de recursos

7%

Condições de inovação

6%

Cadeia de suprimentos

5%

Ambiente econômico e demográfico

1%

Comercio exterior

A seguir detalhamos a visão das PME’s sobre as barreiras, obstáculos e dificuldades e os grandes desafios.

 

Sistema Legal e tributário  ( 44%):

–  Quantidade e complexidade de documentos e procedimentos envolvidos no atendimento das obrigações

–  Dificuldade para conhecer todas as normas legais e tributarias que afetam o negocio

–  Dispêndio de recursos necessários para manter a estrutura interna de profissionais para atender as obrigações legais tributarias

–  Dificuldades de contratar profissionais qualificados para ajudar a empresa a atender às obrigações legais

–  Dispêndio de recursos necessários para terceirizar o atendimento às obrigações legais e tributarias

 

Legislação trabalhista ( 30%):

–  Custo por funcionários estabelecidos pela legislação trabalhista ( FGTS, férias, vale-transporte, 13º. , horas extras, etc )

–  Tempo requerido pela legislação e por praticas trabalhistas para processos de contratação ou demissão

–  Complexidade dos procedimentos para contratação de profissionais

–  Dificuldade na negociação com sindicatos

–  Processos legais que envolvem ex-funcionários, fornecedores, etc

–  Complexidade na contratação de temporários

 

Captação de recursos ( 7%):

–  Garantias e exigências atualmente requeridas pelas instituições financeiras para a concessão de credito

–  Complexidade dos procedimentos para a captação de credito em bancos de fomento

–  Atual conjuntura do mercado de capitais no Brasil

–  Complexidade dos procedimentos para a captação de recursos no exterior

–  Modelo de seleção adotado pelos fundos de investimento ( private equity e venture capital ) para definir empresas – alvo

 

Condições para inovação ( 7%):

–  Complexidade em obter financiamento para desenvolver novos produtos e serviços

–  Nivel de apoio governamental para desenvolver novos produtos e serviços

–  Custos com licenças, certificações e autorizações

–  Distanciamento entre as empresas e as universidades

–  Tempo médio levado pelos órgãos competentes para deferir os pedidos de patentes e registros

 

Conclusão:

Dos 4 grandes desafios revelados pelas PME’s detalhados acima que representam 88% da amostra , todos eles são oportunidades para  oferta de serviços de BPO Contábil, Fiscal e RH.

Ou seja, os maiores medos e angustias das PME’s que na amostra de 336 empresas com faturamento ano  entre R$ 3 a R$ 300 milhões, são na essência a proposta de valor da L&Barreiros Controladoria, com  um  BPO Contábil, Fiscal e RH.

 

Abordagem Deloitte:

No evento , a Deloitte a apresentou sua proposta de valor para o segmento PME , propondo-se a ser uma aceleradora do crescimento destas empresas, conforme os aspectos analisados a seguir com base em metodologia propria:

ACELERADORES   DO CRESCIMENTO

Gestão e Operação:

  •   Abordagem comercial
  •   Estratégia de suprimentos
  •   Gestão de estoques
  •   Governança e controles
  •   Processos e TI
  •   Pessoas e estrutura organizacional
  •   Folha de pagamento
Impostos:

  •   Revisão dos impactos tributários nas operações
  •   Avaliação do modelo atual da sociedade

 

Finanças:

  •   Gestão do caixa
  •   Qualidade do endividamento
  •   Reciprocidade bancaria
  •   Geração de caixa (EBITDA)
  •   Incentivos fiscais
Contábil:

  •   Aderência e adequação das praticas contábeis
  •   Índices de rentabilidade
  •   Índices de estrutura de capital
  •   Índice de liquidez

 

 

 

 

Link com a pesquisa completa:

http://www.deloitte.com/assets/Dcom-Brazil/Local%20Assets/Documents/Relatorio%20PME%20Deloitte%202009.pdf

Blog no WordPress.com.