Blog das PME´s

27/07/2012

Tudo o Que É Fácil Já Foi Feito

Estivemos presentes no lançamento do novo livro do Professor Marins: Tudo o Que É Fácil Já Foi Feito.

O livro relata a realidade que todos sabemos: para vencer, pessoal e profissionalmente, o leitor tem de se preparar para cada dia que passa, pois a competição está mais acirrada não só entre as empresas, mas também entre os profissionais. Sendo assim, não se pode esperar que a empresa proporcione somente prazer e em-estar. Hoje em dia, muitas pessoas perderam a noção concreta de que trabalho não é lazer. Trabalha-se porque é preciso. A ilusão de querer um emprego que só dê alegrias está deixando as pessoas infelizes – tanto funcionários quanto chefes – exatamente pelo nível de expectativa irreal em relação ao que seja trabalho e emprego. Com linguagem direta e fluente, o autor esclarece que as expectativas de funcionários e chefes devem ser revistas, pois o objetivo de uma empresa, seja ela qual for, é maximizar resultados. Uma empresa não é uma instituição de caridade, nem uma associação de amparo aos desempregados.

Recomendo: http://www.commit.com.br/produto/tudo_o_que_e_facil_ja_foi_feito_lanamento/785

Boa leitura e bons negócios.

Laecio Barreiros

Anúncios

23/07/2012

Síndrome de Gabriela

A novela Gabriela, Gravo e Canela do romance de Jorge Amado, produzido pela TV Globo em 1975 e com uma nova versão em 2012, trouxe mais precisamente como  protagonistas: Sônia Braga em 1975 e Juliana Paes em 2012. No auge da beleza, estas divas, dão vida ao personagem desejado pelos homens e invejado pelas mulheres: Gabriela. Mas o que tem a ver novela com o mundo corporativo?

A novela em si quase nada, mas a música tema da trama brilhantemente escrita por Jorge Amado tem sim tudo a ver. Os versos cantados por Gal Costa traziam um tom brejeiro para o personagem e dizia assim: “eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim… Gabriela… sempre Gabriela”.

A partir destes versos, identificou-se o que chamamos Síndrome de Gabriela no Mundo Corporativo, o medo da mudança, os paradigmas e a inflexibilidade convivem diariamente dentro das organizações ! Quantas pessoas você conhece que repetem o discurso: eu nasci assim, e sou mesmo assim e não mudo ou, eu fiz sempre assim, por que mudar agora ? Tenho certeza que já se deparou com diversos colegas que falam, pensam e agem desta forma.

 

Pois bem, diga pra eles, que esta atitude tem nome, Síndrome de Gabriela e aproveitando que a novela esta ai e fazendo bastante sucesso, por que não experimentar uma mudança de atitude e tentar um pouco mais de jogo de cintura e flexibilidade para mudanças.

 

Pense nisso !

 

Bons Negócios,

Laecio Barreiros

18/07/2012

Problemas ? Oba !

A Fabula:

Era uma vez, há muitos e muito anos, um reino beeeem distante (talvez não tão distante quanto você imagine) disputado por duas famílias. Duas famílias que dividiam os poderes do reino do Crescimento. Duas famílias que, na verdade, não se gostavam muito, mas se completavam muito bem. Mesmo porque os filhos, ah os filhos !, se amavam loucamente.

O príncipe Problema era um pouco mais velho. Tinha nascido antes. Mas a princesa Solução era linda, era tudo com que Problema sonhava. Aonde Problema ia, desde pequenininho, Solução acompanhava, meio escondida, principalmente quando Problema ainda era pequeno.

Solução tinha esse dom meio magico, conseguia se esconder, mas, quando era descoberta, ah!, ela se revelava realmente linda. E Problema, vendo a beleza radiante de Solução, quase que se escondia atrás dela.

Eram completos juntos. Quanto mais crescia, mais Problema conquistava novos reinos e admiradores, tendo ao seu lado a radiante Solução, que sempre o acompanhava nas contendas que enfrentavam.

Cresceram em idade e em amor. Já não havia um sem o outro. E o reino do Crescimento tomou um tamanho nunca visto antes, pois, com os príncipes apaixonados Problema e Solução, tudo era resultado.

Mas um dia ( já percebeu que toda historia tem um “mas um dia”?) o reino foi invadido pela esquadra das irmãs Insegurança e Covardia (um braço da família que havia sumido por um tempo, mas estava lá, planejando a sua volta e a sua vingança contra o reino do Crescimento).

Veja que tristeza, pouco antes do casamento dos príncipes, Solução foi sequestrada.

Ninguém viu. Ninguém soube. Ninguém ajudou. E o reino feneceu.

Problema ficou ranzinza. Ninguém suportava conversar com ele. Problema, sem Solução, era insuportável, todos no reino já quase esqueciam como aquele garboso e vigoroso príncipe Problema era generoso quando acompanhado da princesa Solução. Mas ele estava só e, quanto mais só ficava, mais só era deixado e mais ranzinza se tornava.

Durante muito, muito tempo, todos no reino passaram ate a ter medo do príncipe Problema. Quando ele surgia, todos fugiam. E, quanto mais só ficava, mais só era deixado e mais ranzinza se tornava.

Do outro lado do mundo, a princesa Solução, depois de muito tempo, conseguiu burlar as irmãs Insegurança e Covardia e fugiu do cativeiro, mas foi amaldiçoada pelas irmãs com uma magia muito má.

Coitada, ficou errante. Solução, em busca de um Problema, não resolvia nada, não fazia ninguém feliz. Solução iludida pela magia das irmãs, ainda via Problema aonde não existia nada, somente para completar-se.

Veja, que tristeza: Solução estava tão perto, mas escondida (lembra que ela sempre teve uma capacidade enorme de se fazer desaparecer ate o ultimo momento em que, nesse caso, nunca chegava ?). Problema tão perto, mas sozinho, reclamando, na torre de seu castelo, onde ninguém tinha coragem de chegar perto.

Um tormento. Dois tormentos. Problema, sem ter a sua solução. Solução, tentando descobrir o seu problema. E o reino fenecendo (adoro essa palavra, acho tão “era uma vez” – mas segue a historia).

Ate que um dia, escreveram um livro. Um livro magico. Um livro tão poderoso, escrito por um mago da região que iluminava tudo. E, quanto mais lido, mais poderoso se tornava. E todos no reino começaram a ver.

Problema na verdade era mal compreendido. Ele era aquele mesmo ser adorado que ajudava a todos e tinha feito o reino crescer tanto. Um a um, todos no reino começaram a visita-lo.

No inicio foi difícil mesmo, mas, quanto mais pessoas encaravam Problema, mais se encantavam com as possibilidades que havia perto dele.

Graças a esse livro magico, Problema passou a ser tão amado, tão amado, que seu coração começou a irradiar um luz tão forte, mas tão forte, que destruiu a magia das irmãs malévolas, e Solução, deixando-se guiar pela luz de Problema, revelou-se em todo o seu esplendor na porta do castelo. Problema levantou de onde estava. Solução irrompeu sala adentro. E …

Ah a felicidade do encontro. Quando Problema e Solução se encontraram, amaram-se loucamente, trazendo felicidade para todo o reino.

Pouco tempo depois tiveram um filho: Futuro. E Futuro tornou-se o reino mais justo, sábio e poderoso de toda a historia. E fez todo o reino crescer com ele. Pois guardava todo o poder do pai, Problema, e toda a ternura da mãe, Solução.

Leia o livro que mudou essa historia. Pelo menos a historia de muita gente. E pode mudar a sua.

 

Por Sergio Valente

Presidente da agencia de publicidade DM9DDB

Retirado do prefacio do livro: Problemas ? Oba ! de Roberto Shinyashiki.

 

03/07/2012

Seis dicas de finanças para PMEs

Muitos empreendedores têm dificuldades para lidar com dinheiro. São ótimos em sua arte – sejam cozinheiros, vendedores, engenheiros, arquitetos, jornalistas ou designers –, mas fogem como o diabo da cruz quando o assunto é números (e acham que já sabem o suficiente para tocar o seu negócio). Afinal, se gostassem de finanças, teriam estudado administração de empresas ou contabilidade. Só que a vida de empreendedor não é bem assim e, não importa o ramo, tem que estudar e entender de gestão e finanças.

 

Afinal, uma empresa é como um corpo humano, precisa ter todos os órgãos funcionando em equilíbrio. De nada adianta braços grandes e musculosos se o coração está fraco e não permite que se pegue peso. Em uma empresa, de que adianta se você tem uma enorme capacidade de venda e acesso ao mercado se não tem capital de giro para comprar matéria-prima para produzir e transformar em produto acabado e então obter a venda?

 

O equilíbrio nas empresas e nos negócios é fundamental e, para isso, existe um conjunto de ferramentas que são fundamentais para uma boa gestão, principalmente em finanças, que é um dos órgãos vitais para a uma empresa. Vejamos a seguir as principais ferramentas de uma área financeira e empresa bem administrada:

 

1º. Fluxo de Caixa

Ferramenta que mede e acompanha o fluxo de entrada e saída de dinheiro, o foco e objetivo desta ferramenta é o controle.

 

2º. Formação do Preço de Vendas

Ferramenta fundamental para a gestão do negócio, o foco desta ferramenta é a Lucratividade e Geração de Caixa.

 

3º. Disciplina e Perseverança

Isto é uma atitude, não dá para deixar para depois, sem disciplina para alimentar as planilhas ou sistemas de Fluxo de Caixa ou controles financeiros, não é possível ter um modelo de gestão eficiente.

 

A seguir elencamos “Seis dicas de Finanças para PMEs – Pequenas & Médias Empresas” que se colocados em prática, ajudarão muito o Empreendedor:

 

1- Quais são seus ativos?

Ativos são tudo aquilo que a empresa possui. Equipamentos, Máquinas, Móveis, Imóveis, Créditos, Direitos,( Contas a Receber), Dinheiro em caixa ou no Banco. Ter controle e acompanhamento diário sobre eles é fundamental.

 

2- Quanto custa vender? Qual é a sua margem de lucro?

É essencial saber quanto custa colocar um produto no mercado, o que inclui desde o custo de sua produção, publicidade, marketing, mão-de-obra, estoque, entre outros. E qual é a sua margem de lucro bruto, pois é valor que será responsável pela geração de caixa e rentabilidade de seu negócio.

 

3- Como anda a relação entre Dívidas (Contas a Pagar) e Ativos (Contas a Receber)?

O Equilíbrio desta relação pode permitir que você conheça e administre de forma adequada seu fluxo de caixa e a gestão operacional do seu negócio.

 

4- Qual é o tempo médio (prazo médio) de cobrança (contas a receber) e de compras (contas a pagar)?

Provavelmente, essa é uma das informações mais importantes para empresas em contenção de despesas, porque ela indica o tempo durante o qual você financiara o cliente. O equilíbrio entre os prazos é fundamental para a saúde financeira.

 

5- Qual é o valor das contas a pagar, quanto você deve?

Um aumento nas contas a pagar pode significar apenas que você comprou mais ou que negociou prazos mais longos. Mas um aumento não planejado ou gerenciado pode ser um aviso de que as coisas não estão indo bem. Às vezes em situação de crise, as pessoas se afastam e não acompanham de forma adequada esta variável.

 

6- O que está acontecendo com o estoque?

A capacidade de controlar o estoque e de saber quanto tempo ele demora para ser vendido ou transformado permite identificar se o negócio está crescendo ou minguando. Essa capacidade também indica o valor que poderia ser usado em outros pagamentos e investimentos e que está atrelado a bens improdutivos.

 

Com essas dicas, o empreendedor terá uma visão ampla sobre a saúde financeira da empresa e conseguirá identificar as falhas e as oportunidades embutidas nos números. Depois disso, é possível verificar qual setor merece mais atenção do empreendedor, garantindo uma maior oportunidade de crescimento.

 

Empreendedor, você está ciente de como andam as finanças da sua empresa?

 

Por Laecio Barreiros

Founder and EVP – Executive Vice Presidente L&Barreiros Controladoria

No Blog da Microsoft – Pensando Grande

http://www.pensandogrande.com.br/seis-dicas-de-financas-para-pmes/?utm_source=social%2Bmedia&utm_medium=linkedin&utm_campaign=Post%2B03%2B07%2B12

 

Blog no WordPress.com.