Blog das PME´s

19/04/2012

CLT ou PJ? Conheça as vantagens e desvantagens desses dois modelos

Todo mundo já sabe que o nosso regime e as leis trabalhistas (CLT) são extremamente inflexíveis, não acompanham a dinâmica atual da relação capital x trabalho, impacta na competitividade da indústria brasileira e eleva o chamado Custo Brasil. Agora o que ninguém diz, são os riscos que existem na busca de formas alternativas de contratação, comumente conhecidas como PJ ou Pessoa Jurídica.

Para esse tipo de contratação cria-se um contrato específico entre as partes e o contratado emite uma nota fiscal pela prestação de serviço. Para que esse processo aconteça, é necessário a abertura de uma empresa (Pessoa Jurídica), por isso essas pessoas são popularmente chamadas de PJ.

À primeira vista este formato traz benefícios e reduz o custo para o empregador, mas também esconde riscos que precisam ser conhecidos e mensurados para poder gerenciá-los.

A seguir veja uma simulação aonde podemos avaliar as diferenças para o empregado e para o empregador.

Em uma análise preliminar o ganho para o empregador pode chegar a 33% se compararmos R$5.855,39 x R$ 4.400,56, diferença bastante consistente quando projetamos em um grupo maior de pessoas ou com salários de maior valor.

Mas atenção, a legislação brasileira só aceita a contratação de profissionais como CLT, sendo que os PJ podem acionar judicialmente e pedir enquadramento como CLT, recebendo verbas e benefícios adicionais (VT, VR, 13º, Férias, FGTS, Aviso Prévio), ou seja, tudo aquilo que o empresário economizou em um primeiro momento, terá que pagar ao empregado. E já existe jurisprudência com ganho de causa para os funcionários.

Enfim, é uma vantagem imediata para a empresa e para os funcionários, mas que pode trazer riscos quando gerenciada em longo prazo.

Bons Negócios,

Laecio Barreiros

Anúncios

03/04/2012

Apenas 6 pessoas te separam de qualquer uma no planeta

Apenas seis pessoas te separam de qualquer uma no planeta terra. Tire proveito disso para alavancar sua carreira e seus contatos.

Eu nunca vou conseguir chegar perto de pessoas ilustres como o Eike Batista, a presidenta da republica ou o Papa! Quem nunca pensou assim? Mas saiba que você está muito mais perto do que imaginava. É isso que diz a teoria dos Seis graus de separação.

Como tudo começou:

Em 1929 Frigyes Karinthy escreve a historia “ Correntes ” que serviu de base para a teoria dos “ Seis Graus de Separação “.

Essa teoria foi criada em 1967, através de um estudo científico por Stanley Milgram. Esse estudo provou que são necessários apenas seis laços de amizade para que duas pessoas de alguma forma estejam ligadas. Ele afirma que algum amigo de um amigo seu, conhece o amigo de um amigo de outra pessoa que você jamais iria imaginar. No experimento em 67 foram enviadas 160 cartas para pessoas pedindo que a fizessem chegar a determinada pessoa e acreditem, 42 cartas chegaram. Em 1998 Duncan Watts & Steven Strogatz repetem a experiência com email.

Mas hoje, com esse universo online e a chegada explosiva do Facebook e outras redes sociais, isso se estreitou ainda mais. Novos estudos confirmaram que agora não é mais seis e sim apenas 4,47 o número de conhecidos que separam duas pessoas.

Ou seja, nada é impossível! E esse estudo só prova cada vez mais a importância de conquistar bons e variados tipos de contatos. Portanto, acredite, se você, com menos de cinco contatos podem chegar perto de uma pessoa superimportante, certamente através deles você também pode fazer bons negócios.

Expandir sua rede de relacionamentos é um bom começo para se aproximar de alguém e do que realmente você deseja. Não tenha medo vá em frente e permita-se conhecer e conquistar o mundo!

Bons negócios,

Laecio Barreiros

 

Blog no WordPress.com.