Blog das PME´s

25/05/2011

Crédito, uma alavanca para o crescimento.

Especialistas afirmam que o credito no Brasil ainda é muito pequeno, principalmente se comparado a outros países. O governo Lula melhorou a situação, mas não conseguiu acabar com todos os entraves. No novo governo o cenário promete se desenvolver ainda mais. Com atenção especial às empresas emergentes, incluindo ate mesmo a criação de um Ministério para as PME´s, o que podemos esperar em relação ao credito oferecido a essas companhias ?

Para discutir este tema com mais profundidade, a AMCHAM – Camara Americana de Comercio promoveu em 24/05/2011, o Evento BIG – Business in Growth para Empresas com Alto Potencial de Crescimento, e teve como convidados palestrantes, o Sr. Nelson Tortosa, Gerente do Departamento de Relacionamento com Agentes Financeiros do BNDES e Sr. Milton Luiz de Melo Santos, Diretor Presidente da Nossa Caixa Desenvolvimento, a L&Barreiros Controladoria esteve presente representada pelo Sr. Agnaldo Serrano, Diretor de Projetos e Negócios que com muita propriedade, fez uma explanação a cerca dos motivos do racionamento de Crédito para as PME’s, que são:

– Ausência de Garantias Patrimoniais;

– Assimetria de Informações;

– Ausência de Gestão Profissionalizada.

Por unanimidade o comitê, elegeu os pontos realçados pelo diretor da L&Barreiros,  Agnaldo Serrano como fatores que contribuem em muito para a elevação do Risco Credito para as empresas.

Bons Negócios

17/05/2011

Ivix Gestão e Negocios … em breve

Ágil, Dinâmica e Flexível, este foi o slogan da IVIX Sistemas Abertos de Informática, joint venture entre Villares e IBM, que com o fim da lei de reserva de mercado de informática, tornou-se 100% IBM e em 1997 foi vendida para a GE Capital mudando seu nome e marca.

De olho nesta oportunidade e na visão estratégica experimentada na IVIX quando da sua formação, a L&Barreiros Controladoria esta  inovando e retomando a implantação de uma empresa de consultoria que tem os mesmos pilares estratégicos difundidos pela a IVIX,  (Ágil, Dinâmica e Flexível ). O projeto já esta fase de confecção de nova logomarca através de um concurso de Designers gerenciado pela Agencia We Do Logos e também em fase de construção do site: www.ivixgestao.com.br, a parte legal já esta toda formalizada e nas próximas semanas será realizado o anuncio e lançamento oficial.

14/05/2011

Base da pirâmide é mesmo para sua empresa ?

Buscar o pote de ouro em alguns dos mercados mais difíceis do mundo pode não valer a pena para sua empresa. Veja se esse é o seu caso.

Na edição de Maio/2011 da Revista Harvard Business Review no artigo especial sobre Sustentabilidade, foi elaborado algumas perguntas chaves para avaliar esta questão.

Sua empresa preenche requisitos ?

Eis um punhado de perguntas que todo executivo e empreendedor deve fazer sobre a própria empresa antes de partir para mercados na base da pirâmide.

1)      Podemos administrar grandes volumes de transações de baixas margens e baixo valor ?

Empresas cujo modelo de negócios dependa da geração de altas margens em cada estagio da cadeia de valor dificilmente terão sistemas de produção e distribuição adequados para mercados de baixa renda.

2)      Podemos trabalhar com mercados informais ?

Uma empresa cujas praticas de distribuição dependam, por exemplo, de uma correta documentação comercial ou de certificação de fornecedores pode se sentir pouco à vontade atuando na base da pirâmide.

3)      É possível deixar de fora custos fixos ?

A alocação de certos custos fixos, como os de TI, pode tornar novos produtos caros demais para o mercado e minar sua rentabilidade antes que tenham chance de decolar. 

4)     Nossos lideres tem mentalidade de longo prazo ?

Atividades de baixas margens e alto volume na base da pirâmide podem demorar mais para produzir retornos saudáveis do que atividades em outros mercados. É preciso ter fontes pacientes de capital – na África, muitas empresas afirmam que cinco anos são o horizonte de investimento previsto -, equipes exclusivas para esse mercado e lideres que defendam iniciativas apesar de retornos iniciais baixos.

5)      Nossa cultura organizacional vai sufocar a inovação na base da pirâmide ?

Iniciativas nesse mercado tendem a diferir consideravelmente da principal atividade da empresa e correm, portanto, o risco de ser sufocadas por normas tradicionais que regem o desenvolvimento de novos produtos.

Bons negócios,

Laecio Barreiros

11/05/2011

Descontos em cascata

Dentre das minhas atividades, tambem atuo como palestrante sobre Gestão Financeira e Formação de Preço de Vendas na PMEs e uma pergunta é recorrente entre os participantes.

Trata-se da difrença no momento de conceder um desconto. Voce save a difrença de um desconto de 20% e um desconto em cascata de 10% + 10% ?

Vejamos:

No Desconto de 20%

Preço de Venda Bruto ……… 100,00

Desconto de 20% ……………    20,00

Portanto, Preço Liquido ……….80,00

No Desconto de 10% + 10%

Preço de Venda Bruto ………..100,00

Desconto de 10% ………………..10,00

Preço Liquido Intermediario …..90,00

Desconto de 10% …………………. 9,00

Portanto, Preço Liquido ………..81,00

Vejam que o efeito do desconto em cascata é mais vantajoso para o vendedor.

Bons negocios,

 

Laecio Barreiros

Cegueira e Ignorância Tributaria

Antes de evoluirmos no assunto, precisamos entender o significado das palavras cegueira e ignorância.

No Dicionário Michaelis:

ce.guei.ra

s. f. 1. Falta de vista; estado do que é cego; incapacidade de ver.

ig.no.rân.cia

s. f. 1. Estado de quem é ignorante. 2. Desconhecimento. 3. Falta de instrução, falta de saber.

Entendido o significado, podemos afirmar com certeza que o dia em que a população entender e enxergar que o problema tributário ou custo brasil derivado dos impostos em cascata, “ Não ” é dos Empresários ou do Governo e sim da Sociedade e da forma como ela enxerga o problema, por que na formação do preço de venda dos produtos ou na planilha de custos de qualquer produto, estão inclusos todos os custos e impostos ou seja,  quem paga é quem consome ou compra o produto, no mesmo principio de tributação das economias avançadas ( usamos aqui o exemplo dos EUA )  … com uma única diferença, lá eles sabem disso e pagam o IVA ( Imposto de Valor Agregado ) a parte no momento do consumo dos produtos e serviços, aonde esta explicito e sai na nota ou recibo na hora da compra.  Aqui no Brasil, esta no incluso preço e a gente não sabe disso e não enxerga  !

Portanto só teremos uma reforma tributaria justa no dia em que a população entender que o imposto ou tributo é um problema da sociedade, do povo e não do empresário, a população na sua ignorância, pensa que o Empresário e o Governo são os vilões … de fato os vilões ou melhor o vilão é o Governo, já os Empresários, esses também tem uma relação cega ou míope da situação, pois acreditam que eles são as únicas vitimas da carga tributaria e ai esta um grande erro, os Empresários devem sim, reclamar da falta de competitividade derivado da alta carga tributaria e não devem por isso apoiar seu negocio  em planejamento tributário ou informalidade derivado de sonegação por julgarem serem vitimas da alta carga. Não devem esquecer de que na formação de preço de venda ou planilha de custos dos seus produtos, eles incluem e repassam os impostos e o custo brasil já mencionado ao preço de venda, portanto quem paga é o consumidor.

Neste contexto, o  empresário tem que ter em mente que ele é apenas um repassador, um agente arrecadador de impostos e tributos, ou seja, ele apura e recolhe os impostos que foram inclusos no preço de venda.

Evidentemente esta cadeia de repasses de impostos deste do produtor na Matéria Prima, Transformador e Prestadores de Serviços envolvidos em todo o processo, cria a cascata de impostos, pois calcula-se  um sobre o outro durante o processo e isto é um dos componentes do custo brasil .

Pense agora na inclusa de mais de 40 milhões de pessoas da classe C, D que passam a ter acesso a novas oportunidades de consumo e fazem isso de forma desenfreada em função da demanda reprimida de tantos anos … vocês acham que o fisco ou os empresários esclarecidos estão preocupados com reforma tributaria ou redução de impostos ? Quem vai pagar a conta ?

Precisamos urgentemente esclarecer a população para acabar com a ignorância ou dar óculos para melhorar a visão do povo .

Bons Negócios,

 

Laecio Barreiros

L&Barreiros Controladoria

Blog no WordPress.com.