Blog das PME´s

30/09/2009

Mauá ( Visconde e Barão ) … Empresário do Império

Estou concluindo a leitura de uma Biografia extraordinária … Na minha opinião, obrigatória para um Empreendedor !
Mauá – Empresário do Império de Jorge Caldeira pela Editora Companhia das Letras.

A seguir um pequeno resumo para provocar a curiosidade: Irineu Evangelista de Souza ( Visconde de Mauá ) nasceu numa estância de gado em 1813.Perdeu o pai aos 8 anos, assassinado por disputas políticas.Seus tios arrumaram novo casamento para sua mãe, mas existia uma condição.Os dois filhos dela teriam que sair de casa. A irmã de Irineu casou-se então com 13 anos e Irineu veio para o Rio de Janeiro, sozinho para trabalhar. Arrumou serviço numa casa de comércio como caixeiro e se deu bem.Austero, inteligente e autodidata aos 15 anos era o homem de confiança do patrão.Aos 23 anos de idade, comprou a firma e aos 30 anos era um dos homens mais ricos do império.Aos 32 anos, insatisfeito com o rumo de sua vida, associou-se a um escocês excêntrico e iniciou-se no ramo da industrialização, utópico para a época.Fundou estaleiros, depois bancos, companhias de cabotagem, ferrovias, empresas de iluminação.Brigou com a sociedade da época, escravocrata, que achava o feitor o melhor gerente de recursos humanos e não entendia seus métodos de trabalhos e idéias revolucionária para a época.O próprio imperador pedia seus serviços para o bem da Pátria, como a iluminação do Rio de Janeiro, a exploração do Rio Amazonas, mas no entanto criava enormes dificuldades.Logo ampliou seu campo de ação, atravessando as fronteiras do Brasil para levar seus empreendimentos de vanguarda ao Uruguai e á Argentina, vislumbrando uma aliança regional semelhante ao atual Mercosul.

Foi um dos fundadores do Banco do Brasil, chegou a ter 17 empresas em 6 países e enfrentou ditadores latinos, banqueiros internacionais e figuras da sociedade passaram a ser seus inimigos diários. Financiou a guerra do Paraguai, com o amigo Caxias, influenciou governos uruguaios e argentinos a favor do Brasil, mas nunca foi reconhecido. Chegou a ser o maior credor das dívidas Uruguai e argentinas e o maior fomentador do desenvolvimento desses países ao contrário do Brasil, que via nele um entrave. Acumulou 2 vezes mais capital que o orçamento do Império.Já velho, sofreu intensa campanha dos ministros imperiais e acabou por falir.Vendeu todas as empresas, e decidiu ser apenas um velho rico. Continuou trabalhando até o fim da vida, recusou convites do imperador para conversar, não participava de festas, como o Baile da Ilha Fiscal, a maior festa já promovida pelo Império Brasileiro para todo o país, de debates públicos.Reabilitou o nome, coisa sagrada para ele, conseguiu cartas de crédito e convites para novos empreendimentos,ganhou títulos honoríficos como barão e depois visconde, mas recusou a tudo. Enquanto a sociedade brasileira não aprendesse suas idéias capitalistas, que hoje seriam globalizações, participações dos empregados e conselhos diretores profissionais ele nada mais faria. Novos ventos sopraram quando houve a abolição da escravatura, e novas idéias começaram a circular ainda que mínimas na capital do Império.Morreu 3 dias depois do grande baile da ilha fiscal e 3 semanas antes da proclamação da República, quase tão rico como o Império Brasileiro.

 

28/09/2009

Procurando empresas para investir, cade ???

Filed under: Uncategorized — lbarreiros @ 01:00

Empresas com boa rentabilidade e potencial de crescimento, que precisem de capital para acelerar expansão e que atendam os requisitos abaixo:

Segmentos de Atuação:

  • Bens de consumo (alimentos, bebidas, cosméticos, produtos de limpeza, etc.) – preferivelmente empresas com marca forte (mesmo que regionalmente)
  • Varejo (redes de supermercados, farmácias)
  • Serviços financeiros (corretoras de seguros, corretoras de valores, bancos, administradoras de cartão de crédito, financeiras, factorings etc.)
  • Serviços em geral (qualquer coisa “terceirizável” entre empresas)

 Tamanho e porte:

  • Empresas com faturamento anual acima de R$100milhões
  • Investimento mínimo de US$50 milhões 

O investimento pode ser tanto minoritário, quanto de controle !

Contate a L&Barreiros Controladoria, estamos assessorado grande Fundo de Private Equity na busca e identificação de oportunidades.

  Laecio Barreiros

+ 55 11 3915-6503  /  9999-5004

 www.lbarreiros.com.br

 

23/09/2009

Business Plan x Gestão Orçamentária, Chegou a Hora !

Filed under: Uncategorized — lbarreiros @ 14:16

Passado um ano da crise financeira mundial e faltando pouco mais de três meses para o fim do ano, a economia dá sinais de recuperação e projeta bons índices para o segundo semestre e promete um 2010 mais equilibrado e com crescimento. É chegado o momento de pensar no que aconteceu nos negócios durante o ano corrente e preparar os objetivos e metas para o próximo ano … Para ajudar nesta tarefa, vamos aqui fazer algumas reflexões para colaborar na sua preparação de objetivos consistentes, vejamos:

 No inicio do negocio, elaborar um BP é saber apresentar de forma objetiva e sedutora: Quem é você? Qual a sua idéia? Como pretende operacionalizá-la? Em quanto tempo? Investindo quanto? E, demonstrando como irá faturar e qual a lucratividade do negócio?
Repare que estas indagações, você faz no inicio das operações da sua empresa e depois que ela já esta operando qual a ferramenta de gestão que você utiliza para validar o Business Plan e o Planejamento Estratégico? Vamos agora falar sobre:

Entre as varias ferramentas disponíveis, vamos falar da mais utilizada e mais conhecida de todas o Planejamento Orçamentário em inglês  Budget:

Qual o objetivo desta Ferramenta:

Através da ferramenta de previsão orçamentária é possível projetar o resultado de períodos futuros para compará-los posteriormente ao resultado realizado, sendo uma ferramenta útil não apenas para o planejamento como para o acompanhamento e avaliação dos resultados.

A previsão orçamentária é gerada em planilha de Excel, a partir do plano de contas criado no sistema; na coluna REALIZADO são transportados os valores contabilizados referente à movimentação realizada no sistema (compras, vendas, títulos a pagar, a receber, lançamentos, etc), permitindo comparar o resultado realizado com o previsto no orçamento, gerando uma coluna com a variação entre ORÇADO x REALIZADO.

Solução de Gestão Orçamentária para PME´s

A solução de Gestão Orçamentaria para Pequenas e Médias Empresas da L&Barreiros Controladoria proporciona uma nova experiência no processo de planejamento financeiro e gestão orçamentária para a sua empresa, agregando a flexibilidade e facilidade de uso das planilhas eletrônicas com  simulação de cenários customizadas e aderentes ao Core Business focando e alicerçada nas políticas de Governança Corporativa de nossos clientes.

 Utilizamos metodologia que prevê as seguintes etapas:

1-     Planejamento e Cenários

2-     Gestão Tática

3-     Analise e Diagnóstico

Contate a L&Barreiros Controladoria e tenha em mãos uma importante Ferramenta de Gestão para o seu Negócio.  Acesse: www.lbarreiros.com.br

18/09/2009

Criando Magia

Filed under: Uncategorized — lbarreiros @ 12:45

Estratégias da Disney podem fortalecer o seu negócio.

No livro “Criando Magia”, da editora Sextante, Lee Cockerell, 65 anos, ex-Vice Presidente Executivo de Operações da Walt Disney World Resort, explica como usar as estratégias de negócios da Disney para ser um líder melhor e fortalecer sua empresa.

Muito bom ! Na minha opinião, leitura obrigatória principalmente para quem é empreendedor ou é gestor e lidera pessoas … neste livro, o Sr. Lee Cockerell apresenta 10 estratégias de Liderança desenvolvidas ao longo de sua vida na Disney e facilmente aplicáveis no nosso dia a dia.

 

A seguir vou reproduzir apenas uma das 10 Estratégias que o Sr. Lee apresenta … não que as outras sejam menos relevantes, apenas achei esta mais aderente ao momento:

 ESTRETEGIA No. 10 – DESENVOLVA O CARÁTER: 

  • Saiba quais são seus princípios e viva de acordo com eles.
  • Grave isto: as pessoas não se comprometerão com você ate que tenham certeza de que você esta comprometida com elas.
  • Sempre diga a verdade, pois distorções e manipulações geram desconfiança.
  • Seja gentil, sensível  respeite todo mundo, ate mesmo quando estiver instruindo e orientando membros da sua equipe com o objetivo de melhorar seu desempenho. Um líder forte é exigente, não insensível.
  • Nunca humilhe ninguém. Você não tem este direito.
  • Jamais faça algo para ferir a auto-estima ou a autoconfiança de alguém. Você também não tem esse direito.
  • Demonstre que possui coragem para defender o que é certo em todas as esferas da sua vida.
  • Não faça nada ilegal nem quase ilegal – e jamais solicite algo do gênero a seus funcionários.
  • Seja sincero com todas as pessoas e estimule-as a agir dessa mesma forma com você.
  • Crie um ambiente de trabalho diverso e respeite as diferenças de todos à sua volta.
  • Reserve tempo para relaxar e se divertir e incentive sua equipe a fazer o mesmo.
  • Assegure-se de que todos os que estão sob sua direção saibam quais são os valores da empresa e ensine-os a segui-los.
  • Lembre-se de que sua influencia como líder se baseia na força do seu caráter e que, se ele não for suficientemente forte, seu legado também são será. 

Pense grande, comece pequeno e cresça rápido ! Contate a L&Barreiros Controladoria para auxiliá-lo nesta Estratégia Vencedora.Bons Negócios,

16/09/2009

Sobre Impostos, entenda o termo: “QUINTO DOS INFERNOS”

Filed under: Uncategorized — lbarreiros @ 17:14

Durante o século 18, o Brasil Colônia pagava um alto tributo para seu  colonizador, Portugal. Esse tributo incidia sobre tudo o que fosse  produzido em nosso país e correspondia a 20% (ou seja, 1/5) da  produção. Essa taxação altíssima e absurda era chamada de “O Quinto”.

Esse imposto recaía principalmente sobre a nossa produção de ouro. O  “Quinto” era tão odiado pelos brasileiros, que foi apelidado de “O Quinto dos Infernos”. A Coroa Portuguesa quis, em determinado momento,  cobrar os “quintos atrasados” de uma única vez, no episódio conhecido  como “Derrama”.

Isso revoltou a população, gerando o incidente chamado de “Inconfidência Mineira”, que teve seu ponto culminante na prisão e  julgamento de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário -IBPT, a carga tributária brasileira deverá chegar ao final deste ano  de 2009 a 38% ou praticamente 2/5(dois quintos) de nossa produção. Ou  seja, a carga tributária que nos aflige é praticamente o dobro daquela  exigida por Portugal à época da Inconfidência Mineira, o que significa  que pagamos hoje literalmente “dois quintos dos infernos” de  impostos…

Para que? Para sustentar a corrupção, o PAC; o mensalão; o Senado com  sua legião de “diretores”; a festa das passagens; o bacanal  (literalmente) com o dinheiro público; as comissões e jetons; a farra  familiar no executivo; os atos secretos; os filhos, filhas e netos dos senadores; os mordomos; os castelos e os congressistas que se lixam para a opinião pública . Nosso dinheiro é confiscado no dobro do valor do  “quinto dos infernos” para sustentar esta corja, que nos custa (já  feitas as atualizações) o dobro do que custava toda a Corte  Portuguesa.

E pensar que Tiradentes foi enforcado porque se insurgiu contra a metade dos impostos que pagamos atualmente!

 Colaborou: Marcos Tellini

11/09/2009

Pesquisa faz “Raio-X” da Classe “C” Brasileira

Filed under: Uncategorized — lbarreiros @ 15:31

 

Estudo 100+ … mostra com profundidade tendências de comportamento dessa faixa de população em relação a consumo e finanças.

A Nova S/B e o Ibope Inteligência desenvolveram uma pesquisa abrangente sobre o comportamento de consumo da classe C, uma camada da população que hoje representa aproximadamente 100 milhões de pessoas.
Foram mais de 4500 entrevistados participantes e, depois de uma análise, 31 deles foram objeto de estudo de caso. Receberam R$ 100 durante 3 meses e mostraram, na prática, suas respostas para a pergunta: “O que você faria com cem reais a mais por mês?”.

Os resultados revelaram 3 perfis de consumidor: “Planejadores”, “Retraídos” e “Consumistas”.
São informações que ajudarão a NovaS/B a definir rumos únicos e cada vez mais focados para seus clientes e marcas.

 

Mais detalhes no link:  http://www.novasb.com.br/prehome/index.php

 

A L&Barreiros Controladoria, alerta para a Visão de Futuro e para as Oportunidades que possam emergir a partir do consolidação do crescimento da Classe “C ” Brasileira.
 
Portanto: Pense grande, comece pequeno e cresça rápido ! Contate a L&Barreiros Controladoria para auxilia-lo nesta Estratégia Vencedora.

09/09/2009

Sete dicas de Finanças para PME´s – Pequenas & Médias Empresas

Filed under: Uncategorized — lbarreiros @ 22:04

Muitos empreendedores, por incrível que possa parecer, têm dificuldades para lidar com dinheiro. São ótimos em sua arte – sejam cozinheiros ou arquitetos, jornalistas ou designers –, mas fogem como o diabo da cruz quando o assunto é números (e acham que já sabem o suficiente para tocar o seu negócio). Afinal, se gostassem de finanças, teriam estudado administração de empresas. Só que a vida de empreendedor não é bem assim e, não importa o ramo, tem que estudar e entender de gestão.

Fluxo de caixa, por exemplo, é como espanhol: todo mundo acha que entende, mas não vê três minutos de um filme sem legenda. Considerado um dos instrumentos mais importantes para avaliar o desempenho de uma empresa, fluxo de caixa são as movimentações das contas da sua empresa – como receitas e despesas e o pagamento ou recebimento efetivo do dinheiro. Em outras palavras, é a medida da quantidade de dinheiro que realmente existe na empresa, aquele dinheiro que entrou de verdade no caixa da empresa e está disponível. Se você faz um relatório correto do seu fluxo de caixa, ele se torna um instrumento de projeção para que você possa determinar mais facilmente suas necessidades financeiras, a curto, médio e longo prazos.
O consultor tributário norte-americano Joseph Anthony afirma que as pequenas empresas não prestam atenção a esse “quase desconhecido” fluxo de caixa. Em artigo publicado no site da Microsoft, ele trata da importância do tema e dá outras dez dicas de finanças. Destacamos sete deles.

Quais são seus ativos?
Ativos são tudo aquilo que a empresa possui. Equipamento, mobília, imóveis, etc. Mas também é preciso acompanhar a depreciação desses bens. Daqui a quantos anos será necessário substituir os computadores, por exemplo? E será que sua empresa não está localizada em um imóvel que vale mais do que o próprio negócio? Esse pode ser um problema.

Quanto custa vender?
É essencial saber quanto custa colocar um produto no mercado, o que inclui desde o custo de sua produção, publicidade, marketing, mão-de-obra e estoque, entre outros.

Qual é a sua margem de lucro bruto?
Este cálculo é feito dividindo-se o total de vendas pelo lucro bruto. Se a margem de lucro bruto permanecer consistente ou tender a subir, é provável que você esteja ajustando os preços adequadamente para refletir as mudanças entre o preço pago e o custo da venda ou produção. A possibilidade de identificar uma margem em declínio permite que você ajuste seus preços ou custos. Na pior hipótese, é claro, o lucro bruto e a margem bruta desaparecem totalmente. Nesse caso, você será como a pessoa que perdeu dinheiro em todas as vendas, mas imaginou que pudesse compensar no volume. Não siga esse caminho.

Como anda a relação entre dívidas e ativos?
Essa relação pode permitir que você conheça a quantidade de itens que existem na empresa e que pertencem à outra pessoa – seu banco, por exemplo. Um aumento nessa relação pode ser um mau sinal: ele tanto pode ocorrer devido a uma grande expansão como indicar que você está dando um passo maior que a perna.

Qual é o tempo médio de cobrança das contas a receber?
Provavelmente, essa é uma das informações mais importantes para empresas em contenção de despesas, porque ela indica o tempo durante o qual você atuará como “banqueiro” para quem tem em você um credor. Para calculá-lo, você precisará conhecer a média diária de vendas e dividi-la pelo número de contas a receber.

Qual é o valor das contas a pagar?
Um aumento nas contas a pagar pode significar apenas que você comprou mais ou que negociou prazos mais longos. Mas um aumento não planejado ou gerenciado pode ser um aviso interno de que a estrutura financeira da empresa está enfraquecendo.

O que está acontecendo com o estoque?
A capacidade de controlar o estoque e de saber quanto tempo ele demora para ser vendido ou transformado permite identificar se o negócio está crescendo ou minguando. Essa capacidade também indica o valor que poderia ser usado em outros pagamentos e investimentos e que está atrelado a bens improdutivos.

Pense grande, comece pequeno e cresça rápido ! Contate a L&Barreiros Controladoria para auxilia-lo nesta Estratégia Vencedora.

Bons Negócios,

http://www.lbarreiros.com.br/
www.linkedin.com/in/lbarreiros
blog: //lbarreiros.blogspot.com

Mesmo em tempos de crise faturamento do setor de franquias aumenta

Filed under: Uncategorized — lbarreiros @ 18:29

 

A previsão é que de janeiro a setembro deste ano, o aumento do faturamento seja de 24,6% em relação ao mesmo período de 2008.

 A Associação Brasileira de Franchising (ABF) divulgou nesta terça-feira (8) os resultados da pesquisa sobre o desempenho do setor de franquia no segundo trimestre deste ano e a expectativa de expansão para o terceiro trimestre. Realizada em parceria com o Provar – Programa de Administração de Varejo, da Fundação Instituto de Administração (FIA), o estudo avaliou os resultados a partir de uma amostra de 50 redes de franquias.

 

Do total da amostra dos participantes do levantamento, 38% são do setor de Alimentação; 30%, de demais segmentos; enquanto que Vestuário, Educação e Treinamento, Serviços Automotivos e Negócios, Serviços e Conveniência respondem por 8% cada.

Um dado importante apontado pela pesquisa é que a crise financeira mundial trouxe um impacto positivo nos investimentos das redes de franchising. A expectativa é que as empresas participantes apresentem, no terceiro trimestre, um aumento de 8,1% em relação ao investimento planejado anteriormente. Para o quarto trimestre espera-se um aumento de 9,9% no investimento planejado.

“Esse resultado é um sinalizador da confiança do setor de franquias em relação ao mercado interno brasileiro, contrastando com as reprogramações para menos que ocorreram em outros setores”, afirma o professor Nuno Manoel Martins Dias Fouto, coordenador da pesquisa do PROVAR/FIA.

Tendência de crescimento no número total de lojas

Nesta edição, 10.007 lojas estão representadas, das quais 88,3% correspondem a unidades franqueadas. A pesquisa aponta, ainda, que na composição da amostra a participação das lojas próprias diverge entre os segmentos, sendo mais elevada para Limpeza e Conservação com 67%; Fotografia, Gráficas e Sinalização com 50%; e Serviços Automotivos com 44%. A média dos setores inclusos em “Demais segmentos” é de 97% de lojas franqueadas.

Na amostra, as empresas dos segmentos de Cosméticos e Perfumaria, Alimentação e Negócios, serviços e conveniência se destacam com o maior número de lojas com 27%, 22% e 16%, respectivamente, representando 65% do total de lojas analisadas.

No segundo trimestre deste ano, o crescimento de lojas próprias foi de 5,6%. Para o terceiro trimestre a expectativa de expansão é um pouco mais baixa, girando em torno de 4,5%. Já as lojas franqueadas têm mantido crescimento ao longo do ano, com aumento de 4,2% no segundo trimestre e expectativa de 6% para o terceiro.

O crescimento esperado do número total de lojas para o terceiro trimestre é de 5,8% contra 4,4% do trimestre anterior.

Expectativa de aumento no faturamento 

Em relação ao faturamento, a amostra revela que comparando o primeiro trimestre de 2009 com o de 2008 houve um crescimento de 17,7%. No segundo trimestre deste ano, também, foi detectada uma alta de 12,7% sobre o mesmo período do ano passado. E para o terceiro trimestre, a projeção é de um crescimento de 14,8% em relação ao mesmo trimestre de 2008.

Quando analisado o faturamento acumulado de janeiro a junho de 2009 verifica-se alta de 20,9% sobre o mesmo período de 2008. A previsão é que de janeiro a setembro deste ano, o aumento do faturamento seja de 24,6% em relação ao mesmo período de 2008.

Revista PEGN – Da Redação

Notícias / franquias – 08/09/2009

 

 

 

05/09/2009

Afinal, que preço eu cobro ? Qual a Margem de Lucro ?

Filed under: Uncategorized — lbarreiros @ 15:29

 

Esta semana teremos uma overdose sobre Formação de Preço de Vendas e Lucratividade, o Diretor da L&Barreiros Controladoria, Laecio Barreiros teve intensa participação na Midia tratando destes temas, vejam abaixo:

1) Programa Marcenaria Moderna na TV Corporativa da Leo Madeiras ( TV Leo )

Aula pratica sobre: Elaboração de um orçamento – Afinal, que preço eu cobro ?

Video 1:  http://www.youtube.com/watch?v=gB2_TS5CxSs&feature=related

 
Video 2 : http://www.youtube.com/watch?v=-lGPibwERF0 

 

2) Coluna Divã do Empreendedor da Revista PEGN da Editora Globo

Nesta explico a um Empresario ” Como calcular a margem de lucro ”

http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI91389-17161,00-COMO%20CALCULAR%20A%20MARGEM%20DE%20LUCRO%20DE%20UM%20PRODUTO.html

Bons Negócios,
L&Barreiros Controladoria
Consultoria em Planejamento, Finanças e Contábil para PME´s

02/09/2009

Programa gratuito capacita mulheres empreendedoras

Filed under: Uncategorized — lbarreiros @ 15:31

O programa 10,000 Women – Mulheres Empreendedoras, da Goldman Sachs, chegou à Fundação Dom Cabral (FDC). Lançado no Brasil neste ano em parceria com a Fundação Getulio Vargas, o programa, agora em Minas Gerais, vai oferecer capacitação em gestão em negócios para 100 empreendedoras de pequenas empresas para que possam liderar empreendimentos sustentáveis e atuar como agentes de mudanças em suas comunidades.

Com início previsto para novembro de 2009, o programa é parte de uma iniciativa global da Goldman Sachs, que tem como objetivo proporcionar educação em administração de negócios e gestão empresarial para 10.000 mulheres desfavorecidas ao redor do mundo.
Dividido em módulos que totalizam 160 horas/aula, o curso, que será realizado em Belo Horizonte, é gratuito e inclui as despesas com hospedagem e alimentação. Para se inscrever, as mulheres devem ter ensino médio ou superior e ser proprietárias de empreendimentos que tenham, no mínimo, dois anos.

O investimento em educação de mulheres tem um alto retorno social. Segundo um estudo feito pelo Goldman Sachs em 2008, uma maior participação das mulheres no mercado de trabalho poderia alavancar o crescimento econômico, aumentando a taxa de crescimento do PIB no país em 0,7% ao ano e elevando o PIB per capita em 9,1% até 2030.

A iniciativa 10,000 Women ocorre em 16 países, entre eles Afeganistão, África do Sul, China, Nigéria, Ruanda e Estados Unidos, e conta com parcerias locais com instituições e organizações de desenvolvimento para a sua realização.

No Brasil, são parceiros do Projeto 10,000 Women a Fundação Dom Cabral e a Fundação Getulio Vargas, que deverão desenvolver, respectivamente, 500 mulheres empreendedoras nos próximos cinco anos.

 

Da Redação – PEGN
L&Barreiros Controladoria
Consultoria em Planejamento, Finanças e Contábil para PME´s
 
Próxima Página »

Blog no WordPress.com.